Culinária Judaica – Parte II | Coluna da Valeria Cardoso
, / 890 2

Culinária Judaica – Parte II | Coluna da Valeria Cardoso

Aventuras na culinária judaica: Zupa Ogórkowa e Bureka.
SHARE

Olá pessoas! O que vocês acharam do primeiro post com as experiências da culinária judaica na Confraria Madame Min? Deu vontade de se aventurar? Eu estou adorando a experiência!

coluna da valeria cardoso

Nosso segundo encontro foi inusitado, no cardápio não havia nenhum tipo de carne, e isso para uma carnívora assumida é bem estranho. Mas é tempo de quebrar paradigmas e o cardápio foi formado por Zupa Ogórkowa, de entrada, Bureka com Hummus de Feijão Branco como prato principal e, para sobremesa, Strudel.

Cozinha Judaica

A Zupa Ogórkowa ou sopa de pepino azedo é uma entrada de verão, bem refrescante e saborosa. Com batatas cozidas al dente, pepino em conserva, dill, cumel e creme de leite, foi uma grata surpresa! Deliciosa! Da próxima vez vou trocar a tradicional salada de batata e maionese do churrasco por essa Zupa.

Zupa Ogórkowa

Bureka é a palavra utilizada para definir diversos salgados de massa folhada, filo ou podre, com os mais diversos recheios salgados, em especial o queijo. É um prato tão tradicional que pode ser encontrado em versões caseiras ou industrializadas, congelados em supermercado ou feitos na hora. Para nossa Bureka utilizamos massa folhada comprada pronta e dois recheios de queijo, um que seria de ricota e queijo feta, porém como não encontramos esse último fizemos somente com ricota e especiarias e outro de pecorino, ricota, chedar, alho poró, salsinha e pimenta do reino.

Bureka

Cortamos a massa em quadradinhos de 10 cm, colocamos o recheio, fechamos em formato de triangulo e pincelamos ovo, primeiro uma borda de mais ou menos 2 cm para grudar as sementes de cominho, gergelim, mostarda, cumel e pimenta calabresa, depois no restante do pastel para dar cor. Assamos no forno por aproximadamente 20 minutos. Sou suspeita para falar pois gosto de tudo que tenha massa folheada, até mesmo aqueles pasteis que tinha na cantina da escola com um pedacinho de queijo como recheio. Mas o pastel de pecorino e alho poró ficou realmente maravilhoso, confesso que o de ricota era meio sem graça e como não sou muito chegada ao ardor de pimentas retiraria facilmente a pimenta calabresa da receita.

Como acompanhamento de nossa Bureka, fizemos Hummus de Feijão Branco com confit de alho. Prato maravilhoso e super simples de fazer! Feijões branco cozidos, uma parte faz um purê e mistura com tahine a outra coloca inteira na travessa, cobre com o purê e coloca por cima um molho preparado com o alho confitado, pimenta biquinho, salsinha e azeite, coberto com amêndoas crocantes.

Hummus de Feijão Branco com confit de alho

Para finalizar o passeio desta noite fizemos Fluden, ou Strudel, que pode ser de nozes ou de maçã. Fizemos um de cada e enfiamos o pé na jaca (ou melhor na sobremesa)! O livro mostra a receita da massa, mas também oferece a opção de utilizar massa folheada pronta (beeem mais simples). Só vimos essa opção depois de fazer a massa, mas como havia muito recheio e sobrado massa folheada da bureka, experimentamos os dois jeitos. Os dois sabores ficaram muito bons, mas strudel de maçã é uma das minhas sobremesas favoritas e adorei, a aparência não ficou muito legal (culpa minha, perdi a paciência e fiz de qualquer jeito), mas o sabor ficou incrível.

        

2 Comments

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto:

PASSWORD RESET

LOG IN